Glee 3.18 – Choke – Resenha

Crucifiquem as expectativas! Ela é a mãe de todas as frustrações… Essa frase define o que sinto após este episódio… Anteriormente com o excelente tributo a Whitney, minhas expectativas estavam mais que do altas quanto a esse episódio… e o que tivemos foi um episódio com boas músicas, coerente, mas, não coeso….Titio Ryan juntou todos os ingredientes de um delicioso bolo, como drama, boas músicas e uma dose de cultura pop, mas, o resultado foi uma espécie de massa pré-pronta tirada do forno antes de ficar no ponto…

Logo de início tivemos um vislumbre da mente insana de Rachel, contudo, devo dizer que quando estou perto de alguma data o importante também fico paranoico com relação a saúde…  Gostei da sacada onde as pessoas representam metáforas do que a pode impedir, como: “serial killers” e o problema de voz que a Adele teve… Inclusive me lembrou a determinada Rachel da primeira temporada…

Após sair de Rachel´s world, temos ‘enfim o Finn” mostrando o verdadeiro espírito de equipe, Finn pode ser bobo e não saber dançar e cantar, mas se tem alguma virtude em meio aquele cérebro que compete muitas vezes com a Britanny seria a lealdade, e foi bela a atitude dele ao se preocupar com a educação do amigo, a frase nenhum homem fica  para trás, só vem reforçar a amizade dos dois, e o perdão sincero concedido, mesmo  Puck tendo feito o que fez…

Com a atenção dividida entre Rachel´s drama e Puck´s Drama, Titio Ryan usou o resto do grupo para ilustrar um tema delicado, mas, que em glee é sempre tratado com a delicadeza necessária – Beiste Drama : Violência Doméstica.

Graças a isso tivemos Sue e sua versão Black Swan… ops… Black Sue revoltadas com o descaso das meninas de glee para com um assunto tão sério, isso rendeu a tarefa da semana, cantar músicas que valorizem a mulher e sua força, ao que elas sabiamente escolhem Cell Block Tango do musical Chicago, e pude perceber, mais uma vez, o quanto a voz de tina é bonita e mal aproveitada, mas vou deixar o meu protesto para outro dia…

Kurt também se prepara para a audição, fazendo algo  apenas comum, Cadê a ousadia? Ainda bem que ele percebe e na hora da apresentação decide-se por Not the boy next door aqui vai uma dica: nunca peça uma opinião sobre seu desempenho artístico ao seu amor ou parente porque até mesmo o ato de derrubar um copo com água demonstrará toda sua genialidade para ele. Concorda comigo Blaine?

Puck  preste a falhar no teste, decide que a melhor forma de garantir seu carimbo para fora da escola é bancar o womanizer e seduzir a professora de geografia, que até gostou da idéia, mas, recobrou o juízo… E jogou na face dele a verdade: Que tal abrir um livro Mr. Puckerman?

E com um rompante, Puck apresenta seu musical de ódio a escola e tudo que necessite qualquer tipo de ordem cerebral, o importante é pichar a parede e jogar papel higiênico no ar… Terminou com ele sem graça olhando a guitarra ao chão…

Voltando… Finn elabora um plano digno da CIA para capturar de volta Puck, mas, para a sorte de todos, não foi necessário a execução, ninguém contava que com a volta do pai do Puck  ele lembraria do porque ele deve graduar-se ,  para ser melhor que o pai dele… Ao que todos correm para ajuda-lo, e nada melhor que uma música para gravar a matéria.. ainda mais The Rain in Spain..

Com isto em mente, é hora de abrir os olhos de outro amigo, pelo menos é isso que Rachel pensa estar fazendo, na melhor pratica do não trocar o certo pelo duvidoso, ela solta o terror no Kurt que retrocede em usar suas calças douradas para a audição.

E finalmente, chega a hora, inicia-se as audições em McKinley High, e, como olheira temos nada mais e nada menos que Whoopi Goldberg ou Camen Tibideaux, e devo concordar com ela, as pessoas sempre procuram fazer o que tem dado certo e chega a cansar ver tantas repetições de mais do mesmo, nesse quesito, Kurt foi esperto e decidiu correr os risco, aparentemente funcionou, embora ainda não tenhamos os resultados.

A seguir vemos outra prova da cretinice do Ryan, que fez  Rachel esquecer a letra da música que ela canta desde os dois anos, não estou dizendo ser impossível, mas, é impossível conter a sensação de “Really Rachel?”  Todavia, ela é perdoada, afinal, é impossível não se compadecer ao término da audição, onde fica bem claro que ela perdeu sua chance.

E sobre ainda sobre dramas, Beiste revela seu drama familiar… e temos mais uma amostra da humanidade de Sue, assim como as meninas, que depois de saberem que acertaram como uma mosca, oferecem uma música de consolo… Shake it out foi tão linda, suave e tocante, mais 5 ponto para Alex Anders…

 

E em ritmo de fim de episódio Kurt e Rachel têm seu segundo momento, e assim como Rachel, acho que não era a hora de conversar, o ocorrido ainda é muito recente, o que a pessoa precisa nestes momentos é distancia para se recompor e não pensar mais nisso, pelo menos é o que sempre procuro fazer. E só mesmo Rachel poderia cantar Crying com toda emoção para finalizar um episódio com tantos dramas como esse, bom, mas, desfocado.

 

 

 

 

P.s.1: O que foi o Mike pedindo conselho de como usar gel no cabelo para o Blaine?

P.S.2:  Você percebeu que as meninas estavam com o mesmo vestido das reginais da 2ª temporada? Seria isso  uma mostra da contenção de gastos em glee? Rs

P.S.3: Puck não passou na prova, acho que todo mundo viu isso..rs

P.S.4: Além de Glee, Whoopi Goldberg esteve em the middle, estaria ela gravando um novo filme de comédia?

P.S.Final: depois do episódio anterior pensei que a audiência iria aumentar, me enganei, foi de apenas 6 milhões.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s